quinta-feira, 28 de julho de 2016

Amy Casa do Vinho



A folha em branco, o dia calmo, Amy Winehouse, vinho ao lado.
As letras arranham o papel como unha no quadro, necessidade do âmago, desespero das mãos sedentas por um horizonte há tanto tempo inexplorado.
Eu vim ao mundo por culpa das palavras, é por elas que estou aqui. Elas estão em tudo, inspiro palavras, expiro frases prontas ou inventadas, tanto faz, o importante é que estejam lá, me esperando de braços abertos e sorriso nos lábios. Eu já fui escritora, jornalista, redatora, repentista, rimadora, palavrista... 
Sem a escrita sou ser incompleto, sou caso em aberto, sou arma na mão do cego. 
Sou nada do que eu poderia ser; sou tudo a desvanecer, sou martelo sem o prego. 
Eu perco a função, o meu sim vira não, sou poeira escondida debaixo do tapete no chão. 
Sem escrever eu vou ao chão... palavras de fora pra dentro às vezes machucam. Palavras de dentro pra fora muitas vezes curam.