sábado, 18 de janeiro de 2014

Tristeza

Eu não entendia quando diziam que a tristeza mais profunda é aquela em que não conseguimos chorar. Mas a vida se encarrega de nos ensinar certas coisas necessárias. Principalmente nos fazendo sentir na pele.

Tristeza profunda é quando a sentimos de tamanha maneira que não há válvula de escape. É quando temos a consciência de que aquilo que aconteceu já foi, passou, não há como ser mudado. O tempo é o passado, nada pode ser feito daqui pra trás. E então, diante dessa consciência, aprendemos: chorar não vai resolver nada. E assim, nem isso conseguimos fazer, e assim a tristeza não sai. E assim é que nos sentimos impotente.

Não pretendo escrever nada bonito, do tipo: "relaxa, isso passa, nada pode ser feito no passado, mas daqui pra frente sim...". Não, nada disso. Hoje só quero sentir a tristeza que sinto, sem precisar pensar em fazer nada. Meus pensamentos já estão sobrecarregados demais. Deixa pra outro dia.

Eu queria voltar a ser criança. Queria chorar achando que assim é que resolve. Essa é a única parte do tempo que eu queria que voltasse.