domingo, 24 de novembro de 2013

Pesadelo

                                   




Eu que sempre defendi o diálogo, calei-me. Eu que sempre fui contraditória não me espantei.

Eu que sempre tive que viver para aprender, preferi apenas escutar, entender e aceitar que é assim que é e pronto.

Eu que cresci só do lado de fora e pra todos os lados, cansei de ser a "eterna criança" inside.

Eu que sempre estive pronta para partir, parei no meio do caminho e quis voltar, mas então peguei a danada da pedra e arremessei pro alto. E então, enquanto eu balançava os cabelos ouvindo uma música agitada qualquer, ela caiu. Acertou em cheio meus conflitos. 

Foi quando eu acordei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário