quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Ao Tempo...

... do relógio da vida:

Que essa vontade louca de mudança permaneça por toda a eternidade de minha vida. Pois assim que tudo vai se tornando rotineiro, você parece se arrastar lento e monótono. E assim, desperta em mim uma agonia de sentir-me presa, limitada.
Às vezes penso que poderia ser mais veloz, levando consigo as dores e angústias. Outras vezes, penso que mais lento, ou até que parasse, não deixando escapar assim o bom do instante naturalmente feliz.
Lembro-me então que não é controlável, a não ser que seja por meio da memória. Porém, sei que ela é ingênua e nostálgica. Fria de presente e plena de passado, mesmo que seja um passado presente.
Seja a minha janela para o mundo, na medida em que colabore (com o meu esforço) para a concretização dos meus sonhos.
Soa como música, quando está ao meu favor.
Soa como um alarme de carro, quando não me favorece.
Devagar, você é meu remédio quando estou perto do que só me faz bem, só me traz paz. E no mesmo lugar, torna-se meus efeitos colaterais, se voa.
Porque corre tanto? Ou seria eu que não me organizo da melhor forma, interpretando-lhe como o responsável nas desculpas que eu mesma invento?
Talvez um pouco dos dois. Talvez um pouco do mundo, que lhe organiza desse jeito assim, fazendo as pessoas lhe culpar pelo que nem elas têm culpa.
"Não tenho tempo"; "não deu tempo".
Acalme-se, você não é tão culpado assim. O mundo que é capitalista demais, para você, para mim, para todos nós.

...que faz:

Não me faça querer tirar a roupa em público, quando me queima assim! Uma hora acabo o fazendo... Olha, você sabe que não gosto, quando está assim, seco, causando-me preguiça e sono. Parece um forno...
Sabe quando está gostoso? Não precisa nem esfriar tanto. Basta trazer consigo aquela brisa deliciosa pela manhã, envolver-me de disposição e fazer lhe admirar... Tanto! Gosto de você nubladinho!
Falando assim, parece até que sou eu que escolho, né?
Ah se eu pudesse...
De manhã me faria vestir uma blusa gostosa e quentinha. À tarde me faria tirá-la, estaria fresco. Vento no rosto, propício para um dia bom. À tardezinha, durante o pôr-do-Sol, poderia ser como quisesse, exceto trazendo muita água do céu, limitando-me de apreciar tal espetáculo. À noite poderia chover se eu estivesse em casa. Principalmente se junto do meu amor.
Agora indo às análises, eu sei que sou egoísta. Você não precisa e nem se transformará em função de mim.
Mas... Posso ficar aqui, com meus devaneios?
Agradeço por ser como é, natural e desigual pelos dias do ano, colaborando para que o tempo do relógio da minha vida não seja tão lento e monótono.

... apenas obrigada por ser eternamente mutável.

domingo, 19 de setembro de 2010

E o arrepio frio que dá na gente?! Truque do desejo... Guardo na boca o gosto do beijo!

É como se naqueles dias não houvesse mais espaço nenhum para ser preenchido!
Não é por causa desse seu jeito meio de criança brincalhona, cheio de palhaçadas, misturado com uma porção adulta, responsável e plena de atitude.
Não é seu sorriso lindo, seu cheiro gostoso, seu olhar brilhante e nem mesmo seu carinho, seu aconchego, sua voz tão doce, que você acha feia.
Também não é essa meiguice, essa simpatia, esse calor com as pessoas! E nem o modo como me trata, fazendo-me sentir a pessoa mais especial desse mundo.
Eu não sei ao certo o que me faz te querer tão bem. Mas desconfio seriamente que seja a forma como tudo acontece, natural, sem um “por que” definido. Eu gosto tanto disso!
De me sentir tão maravilhosamente bem, sem "por que".
É tão intenso, pleno, correspondido, longe e ao mesmo tempo grudado... Isso você entende bem, eu sei!
Delícia de dias de amor.
Quando você me faz aquelas perguntas, só o que consigo responder é sobre a minha única certeza, aquela mesma, em que falamos juntos, ao som de nossa trilha sonora.

Um pouquinho de luz do sol entrando pela janela, música, violão, um lanche gostoso, o direito a muitas fotos, sorrisos, olhares, amor... Pézinhos entrelaçados, lençol bagunçado, e ainda muito o que ser realizado! Assim como a concretização desse sonho.

"Sei que eu não sou perfeito, mas com você, eu posso ser até eu mesmo que você vai entender..."

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Texto pro Seu Moço

Pediram-me pra escolher entre o dia e a noite.
Quero os dois, claro! Ora moço... Deixe-me querer tudo, que hora dessas eu não vou estar nesse mundo mais não!
Disse que não pode.
Então está bem. Fico com a madrugada, bem naquele pedacinho que a noite se transforma em dia, porque eu gosto é de contrariar.

Falando em contrariar, eu não quero aquele amor certinho, eu não quero vida iludida de casamento certinho. Embora eu acredite na pessoa errada .
Não quero que dê tudo certinho, e sei que não vai dar mesmo!
Ah, não vem falar que vai! Mostre-me uma só pessoa que tem tudo arrumadinho, no lugar (dá tédio só de pensar)! E que viva no mesmo planeta que eu...

Eu quero é gente engraçada do meu lado e muita dificuldade!
Eu gosto é de pessoa que faz aposta besta com ela mesma, do tipo "se o próximo carro que passar na rua for branco, é porque o que eu planejei vai dar certo!" (E se o primeiro não for branco, funciona também se for o segundo, ou o terceiro, bom... se passar um carro branco neste dia!)
Eu quero viver rodeada de gente que realmente acredita que quando a mão coça, é porque vai ganhar dinheiro, e que quando olha no relógio e as horas e os minutos são os mesmos, é porque tem alguém pensando nela. Quero viver rodeada de gente que não gosta de Etiqueta e que xinga. De gente que ri quando não deveria, e que consegue ver desenho em nuvem.
Gente que ouve chamando o nome, e quando vê que não era ninguém, fica com medo de ser a morte. Que sabe apreciar música de qualidade, nem que a qualidade seja não entender nada da letra e achar a melodia linda!
Moço, eu gosto é de quem não segue padrão de beleza, e acha boniteza até naquela voz de "taquara rachada".
Quem dá crise de riso com coisa que ninguém acha graça, e que gosta de umas coisas fúteis, porque de vez em quando, repito, de vez em quando, faz bem.
Quem faz pedido quando vê estrela cadente, e que chora só de observar o pôr-do-Sol, lembrando de um acontecimento marcante. Eu gosto de quem tem marca.
Quem soluça de tanto chorar vendo filme romântico, e morre de medo de "isrpítu" quando vê filme de terror.
Quem se entope de chocolate, sorvete, ou qualquer coisa "engordurante" em favor de ignorar as críticas das "burricidas" falando que você engordou.
Eu gosto de quem inventa palavra ou transcreve como a gente fala.
Quem decide que vai ser a pessoa mais correta a partir de segunda-feira, que vai estudar direitinho, ser mais paciente, emagrecer, e na terça, ou até mesmo na segunda à noite já se pega se entregando à um pequeno prazer que o tira do foco.
Mas eu também gosto de quem tem foco.

Venham até mim as pessoas simples e que acreditam que somos más por natureza! Quem falam mal dos outros, sem culpa. Porque caros, se falamos de quem faz uma fofoquinha, já estamos fazendo fofoquinha também. Se criticamos quem nos critica, estamos fazendo o que nós mesmos estamos criticando: criticar. O mundo é uma falação má, constante! É tudo uma questão de ponto de vista.
Mas venham junto das pessoas de vibração positiva. Mas aquelas que vibram tanto, mas tanto, mas tanto, que me fazem tremer junto! Que também sabem ver os pontos positivos de cada um e "chorar junto", em vez de só "rir de".

Esse mundo é grande moço!
Cheio de gente, e impregnado de um Deus que ri das besteiras que a gente fala, em vez de só castigar.
Afinal de contas, pecado, pra mim, é coisa que não existe.
Eu acredito em um Deus, que quando a gente pede coragem, por exemplo, Ele não nos dá a coragem. E sim a oportunidade de sermos corajosos.
Cabe a cada um abraçar ou não, deixar passar ou não, viver a própria vida, ou querer viver uma vida alheia.
Eu não gosto de gente quadrada porque quer.
Eu gosto de gente contraditória, humana. Porque humano contradiz.
Então não venha me pedir pra escolher entre dia e noite. Eu quero tudo que eu conseguir alcançar, nem que seja um pedacinho de madrugada.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Personalidade Universal

Cada elemento natural, que espalha cores nos pensamentos;
cada sorriso e olhar sincero, que possa surpreender;
cada momento especial, feliz ou triste, que fazem parte do todo com qualquer pedacinho de contribuição;
cada pessoa com boa intenção e vibração positiva que cruza o caminho;
cada pequeno prazer, que não tem a menor graça para os outros e que mesmo assim não deixa de ser prazer;
cada mestre, gênio e ídolo, que é significante, e não àqueles que o mundo tenta impor como heróis;
cada música;
cada desprezo, que só faz crescer;
cada crescimento e passo para trás;
cada respeito e carinho;
cada pessoa que quer bem, que faz sentir especial e diferencial nessa vida;
cada irmão e irmã escolhido, que ajudam e se importam;
cada dor e sofrimento;
cada luta, conquista e derrota;
cada pedaço de tempo jogado por aí, pra ser resgatado, ou deixado passar;
cada saudade, amiga da verdade que vem do coração;
Fazem parte das marcas que carrego.
Eu, tu, ele, nós, vós e eles.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mi Si Sol Re La Mi

"Minsinem" a ser criança como vocês
"Si" somente assim, eu poderei evoluir
Só o Sol brilhando dentro de vocês
É que Realmente faz brilhar um céu em mim
Lá no futuro, quando crianças não forem mais
"Minsinem" a crescer com vocês... E juntos resgataremos a velha paz.

6 cordas, diferentes sons pra tonalizar
"Cês" podiam "tá" era pertinho de mim!
Amanhã eu não sei aonde eu vou estar
Mas comigo, nas 6 cordas, é o "cês" que eu vou levar



MinSinemaSolfejaroRealamorqueLadofundodopeitoMinsinaramasentir...