quinta-feira, 25 de março de 2010

Eu preciso de você

“Pela janela do quarto, pela janela do carro, pela tela, pela janela...”
(Adriana Calcanhoto – Esquadros)

Tentamos achar que o que acontece não é tão mal...
I-LU-SÃO!
Viver de sonho, é ilusão!
Ele realmente faz parte da vida, e é necessário se quisermos colori-la; se temos ambição.
Mas se ficarmos mergulhados apenas nele, nos limitando a aproveitar o que nos cerca; se ficarmos só vivendo de sonho, vamos fechando nossos olhos ao invés de abri-los, vamos ficando cegos em ação.
Vivemos assim, olhando pela janela os acontecimentos que nos cercam, e infelizmente, a vida que está a nossa volta, já que nossa não parece ser mais. Já que não somos sujeitos participantes dela.
Vivemos de sonhos sem ação. Vivemos de comodismo, de hábito, porque é melhor deixar as coisas como estão do que tentar modificar... É menos pesado! Será?
O que nos impede de mudar? O medo, a dor, a dúvida?
Mas pensemos: mesmo isso nos impedindo, ainda assim não sofremos? Não sentimos vergonha, arrependimento? Não temos dúvidas?
Vamos continuar vivendo sem arriscar? Sem fazer o que tem que ser feito, e o que queremos fazer?
Mesmo que não nos arrisquemos, ainda assim não passamos por diversos tipos de sofrimento?
Se sim, porque então não nos permitir movimentar?
Até quando vamos continuar vivendo presos aos nossos vícios? E antes disso, até quando vamos mentir pra nós mesmos, tentando escondê-los e dizer que não são vícios?
Eu preciso de você, amadurecimento!
Eu preciso de você, reflexão. Eu preciso de você, ação.
Espero que isso tudo dure, e que eu não seja hipócrita de desacreditar, e muito menos caia em armadilhas superadas.

Fui! Correndo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário