quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Sempre Continua

                  Resultado de imagem para barquinho no mar


                A vida é um barco a velejar em volta do planeta. Que águas te tocam? Às vezes calmaria de um oceano lento, azul. Às vezes tsunamis te engolem num piscar de olhos... E o barco não para. você assume o leme ou deixa o vento te levar? Vai em linha reta? Faz curvas? Parado não há como ficar. Ainda que esteja parado estará se movendo, sacolejando pra lá e pra cá. Para onde vai? Por onde já viajou? Aonde está? Você admira as belezas ao redor ou embarca numa viagem interna? É barquinho de pescador ou navio de luxo? Tem marca? Tem cor? Tem origem? E destino? Já chegou ou a vigem sempre continua? Tem hora pra chegar? O que você leva? Quem você leva? Quem deixou pra trás? Quem vai encontrar? A ordem das águas não altera o barco. Ou altera? O objetivo é começar, chegar ou continuar? Veleje, navegue, reme... Aproveite a viagem. Como dizem, um dia ela termina. Ou continua?

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Amy Casa do Vinho



A folha em branco, o dia calmo, Amy Winehouse, vinho ao lado.
As letras arranham o papel como unha no quadro, necessidade do âmago, desespero das mãos sedentas por um horizonte há tanto tempo inexplorado.
Eu vim ao mundo por culpa das palavras, é por elas que estou aqui. Elas estão em tudo, inspiro palavras, expiro frases prontas ou inventadas, tanto faz, o importante é que estejam lá, me esperando de braços abertos e sorriso nos lábios. Eu já fui escritora, jornalista, redatora, repentista, rimadora, palavrista... 
Sem a escrita sou ser incompleto, sou caso em aberto, sou arma na mão do cego. 
Sou nada do que eu poderia ser; sou tudo a desvanecer, sou martelo sem o prego. 
Eu perco a função, o meu sim vira não, sou poeira escondida debaixo do tapete no chão. 
Sem escrever eu vou ao chão... palavras de fora pra dentro às vezes machucam. Palavras de dentro pra fora muitas vezes curam.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Quero Ser Humano


Gosto do que é intocável, invisível a olho nu e coração vestido. 
Gosto daquilo que se pode ver apenas com o coração aberto e pelas lentes da sensibilidade. 
O que me encanta não pode ser percebido quando se pensa apenas através da racionalidade, do óbvio que o ser humano quer por em tudo.
O que me ganha é percebido na linha tênue entre a correria do dia a dia e um olhar pra dentro de si. No turbilhão de pensamentos que acontece em um minuto de silêncio. Na visualização das belezas transcendentais da natureza. Na sensação causada pelas cores...
Sou todos os sentidos. Sou visual, sou de tato, de olfato, audição e paladar. E além disso sou de sentimento. Sou constituída do que não se pode explicar. Sou humana e sou espírito. 
O que me rouba de cena é abstração do tempo. É ver como o mundo gira e passa sempre por lugares conhecidos. Ganho horas pensando sobre o tempo, a vida de um ser, suas aprendizagens, suas evoluções e até a falta de capacidade de aprender com os próprios erros. 
Gosto de tudo que é natural, humano, vivo! 
Aprecio a vida em todos os seus prismas e possibilidades.
Que esses ventos que passam por mim nunca cessem em trazer valores e que eu nunca perca a grandiosidade do que é ser humano.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Entre Um Ponteiro e Outro (A Vida Passa)




Uma das coisas mais importantes na vida de um ser humano é o equilíbrio. E às vezes ele acontece em cima da corda bamba. Tudo que se vê ao redor é profundidade, abismo, mas você tem estar ali, mesmo balançando de um lado pro outro, sorrindo. Você quer ouvir o Universo te dizendo que você vai chegar são e salvo do outro lado. Mas tudo o que ouve é "tomara que caia"! O equilíbrio é a coisa mais importante na vida de um ser humano.

~

Acho que nunca inventaram uma dor mais doída que a solidão. É dor que dói suspensa, acima do tempo, porque a gente acha que nunca vai acabar. É aquela dor repentina, quando vê já chegou. Foi sendo criada aos poucos, sem se perceber e de repente explode como bala de canhão no peito. Não tem quem fique em pé. Solidão é quando não resta mais nenhum abraço esperando pra ser dado, nenhum sorriso oferecido ou trocado. Solidão é o Universo mostrando que você caiu da corda bamba do equilíbrio. É quando você se dá conta que nem a sua própria companhia lhe interessa mais. Solidão é você se vendo sentado num sofá ouvindo apenas o tic, tac incansável do relógio. Tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac,tic, tac.

~

Felicidade é o famoso arco-íris depois da chuva, o sol depois da noite. Todo mundo precisa se molhar e precisa do meio-tempo da madrugada, pra quando acordar pra vida, esfregar na cara do Universo que até se a corda bamba arrebentasse você poderia voar e chegar ao seu destino. Felicidade é você mostrando pra solidão que ela não vale nada depois que você extrai o aprendizado que tinha que tirar dela. Aí nasce a força, porque você sabe que tem amor, ainda que seja o próprio.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Só Tu



Tu tens a minha metria em tuas mãos...
Como uma costureira que só trabalha por encomenda
me tomas pela medida exata.
E quando a vida me enche de não,
teu sim me salva
e me conserta os erros.

Certa é a vida quando me tocas!
O rio corre,
o vento acorda,
floresce a árvore...
E quando sorris,
o sol amadurece no horizonte.

Mulher,
tu adormeces a tua menina interior com tamanha segurança!
Mas dormes quando medo sentes.
Então, torno-me eu,
tão menina,
mulher para que possa te acolher nos braços meus.

És um poço de sinceridade!
Afogo-me de propósito,
pois gosto quando falas com o olhar...
Quando me olha,
meu peito pensa que já é carnaval
tamanho encanto que me causa saber que para mim é que falas de amor

O que me dizes de me acompanhar pela vida?
Pois já não quero que não amadureça o sol...
Quero que corra o rio!
Quero seu sim quando tudo é não.
Quero ser menina-mulher e já não quero viver fora da época de carnaval.
Tu fizeste do meu mundo grande evolução!